09/09/2013 16:36

COMEÇA ESTA SEMANA PROCESSO DE PRIVATIZAÇÃO DA BR-262


Trecho entre Betim e Nova Serrana com duplicação já em fase final

 

Um ano depois de ser lançado como uma das alternativas para impulsionar a economia, o programa de concessões na área de transporte começa a sair do papel esta  semana, com o primeiro dos mais de cem leilões previstos para o setor.

As concessões das rodovias BR-050 (GO/MG) e BR-262 (MG/ES) serão disputadas na Bovespa a partir do dia 18.

A privatização da BR-262 vai afetar diretamente quem mora na região Centro- Oeste de Minas e utiliza a MG-050 como acesso à rodovia federal com destino a Belo Horizonte. Isso porque além de arcar com a cobrança do pedágio na MG- 050, terá mais uma praça para pagar, que ficará exatamente na 262, provavelmente no acesso a  Betim. O preço do pedágio após a privatização será bastante salgado e vai variar de R$ 5,60 a R4 7,82. Além de Betim, outros dois postos de cobrança deverá ser instalados na parte mineira da rodovia, ficando em São Domingos do Prata e Matipó.

A concessionária que vencer o leilão, já receberá a rodovia com um trecho de 84 quilômetros duplicados, que começa em Betim e vai até Nova Serrana. A 262 percorre 195,5 km no estado do Espírito Santo, 999,8 km no estado de Minas Gerais, 316,7 km no estado de São Paulo e 783 km no estado de Mato Grosso do Sul.  Entre Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, e João Monlevade, a BR-262 e a BR-381 se unem, formando uma única rodovia. O trecho de Betim a Nova Serrana já está no término da duplicação. São 84 km de rodovia duplicada.

Até 1964, no sistema antigo de numeração das rodovias federais, a atual BR-262 era conhecida como BR-31. O asfaltamento do trecho entre Belo Horizonte e Vitória foi concluído em 1968. O trecho entre Campo Grande e Corumbá foi concluído anos depois, em 1986.

FATOS MARCANTES

Considerada uma das rodovias mais perigosas do país, em 2009, a BR-262 registrou 280 mortes em 9.614 acidentes, 138 pessoas morreram e 2.159 ficaram feridas em 2.975 acidentes somente no percurso entre Belo Horizonte e Governador Valadares.

Em 2010, 17 pessoas morreram em menos de 72 horas, no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares entre os dias 23 e 25 de junho. Ao todo a BR-262 registrou em 2010 334 mortes em 9.890 acidentes.

Em abril de 2011 a ponte sobre o rio das Velhas entre a barreira da Policia Rodoviária Federal e a chegada em Belo Horizonte, no km 455, cedeu, bloqueando totalmente a passagem, forçando os motoristas a rotas alternativas por Santa Luzia, Caeté/Sabará ou Ouro Preto/Mariana. Uma ponte provisória de estrutura metálica foi montada para atender o problema e, seis meses após a queda, em setembro de 2011, a nova ponte ficou pronta.  Esse ano, somente no primeiro semestre, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 226 acidentes, com sete mortos e 139 feridos.

—————

Voltar