10/09/2013 19:23

Matéria publicada pelo Blog Divi-100 em 31 de agosto de 2010

PREFEITO DISTRIBUI REVISTA VEJA DE GRAÇA

 

Reportagem está sendo utilizado como propaganda do governo tucano


Além de torrar milhares de reais para adquirir exemplares da revista, o prefeito ainda abusou com publicidade sobre a publicação em outdorrs e propoagandas em jornais, rádio e TV

A edição 2.180 da revista Veja, que chegou às bancas da cidade no final de semana, já está se tornando raridade para quem deseja adquiri-la. É que o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) adquiriu dezenas de exemplares que estavam disponíveis em bancas da cidade, com o objetivo de fazer propaganda do seu governo. A revista traz como uma de suas principais atrações uma reportagem especial de 47 páginas intitulada As 20 metrópoles do futuro. Na reportagem Divinópolis é colocada como uma das cidades com potencial para se transformar numa metrópole do futuro, citando alguns exemplos que fogem, inclusive, da realidade atual do município. Para executar a reportagem, a revista utilizou dados do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Entretanto, o levantamento do Instituto usado como base de informação, foi feito entre os anos de 2002 e 2007, portanto, em alguns casos já bastante defasados.

Em declaração à Secretaria de Comunicação Social, o prefeito falou sobre a reportagem como se os dados que permitiram a matéria tivessem sido coletados na sua gestão. “É com muita alegria e orgulho que dividimos com o povo divinopolitano, que comunga conosco de fazer uma gestão tão empreendedora. É a soma disso tudo que faz com que tenhamos este avanço de ver Divinópolis entre as 20 principais cidades médias do Brasil, entre as que mais crescem, e que são futuras metrópoles, assim como diz a revista Veja e os dados do IPEA”, afirmou o prefeito.

A administração municipal está aproveitando a circulação da revista para fazer propaganda do governo. A matéria, para o Executivo Municipal, chegou numa excelente hora, já que se avolumam as mais diversas reclamações em todos os setores, especialmente aqueles citados pela revista como destaques para a matéria. Além disso, a Câmara Municipal acaba de instalar uma CPI para apurar as graves denúncias de desvio de material para calçamento. Sem se importar que os dados como base da matéria tenham sido coletados entre 2002 e 2007, o governo faz apologia do texto de Veja, dando o falso entendimento de que a atual administração é a responsável pela posição da cidade no contexto da reportagem, o que é altamente questionável.

Os exemplares adquiridos pelo prefeito estão sendo distribuídos e várias pessoas já receberam a revista que está sendo entregue por emissário do Executivo, em envelope com a logomarca do município. Acompanha a revista uma rápida carta assinada pelo prefeito Vladimir Azevedo. Como o material está sendo entregue em envelope oficial da Prefeitura, pressupõe-se que o dinheiro usado na aquisição das revistas tenha saído dos cofres públicos. O exemplar de Veja é vendido na cidade a R$ 8,90.

A vereadora do PV, Dra. Heloisa Cerri, recebeu informação de que teriam sido adquiridos mil exemplares da revista para distribuição gratuita. Como o exemplar custa R$ 8,90, isso significa que os gastos poderiam chegar a R$ 8.900,00. Diante desta informação, a vereadora do PV, Dra. Heloisa Cerri, protocolou requerimento na Câmara Municipal, solicitando informações sobre o episódio. Com base no decreto-lei federal 201/67, o prefeito terá 30 dais para responder aos questionamentos, sob pena de ação por crime administrativo, que pode, inclusive, levar à cassação do mandato. 

A vereadora quer informações sobre o número de revistas que foi adquirido pelo prefeito, bem como saber o valor pago e de onde saiu a verba para custear a despesa. “Que houve a aquisição da revista, nós já sabemos que sim. Porém, se de fato foram adquiridos mil exemplares, a despesa foi realmente alta e, se foi paga com dinheiro público, certamente se não é ilegal, é imoral”, justificou a vereadora.

ANÁLISE ATUALIZADA

A então vereadora Heloisa Cerri nunca recebeu a informação do Prefeito sobre quanto foi gasto para a aquisição dos exemplares da revista Veja. O prefeito se limitou a responder que o pagamento foi feito do “próprio bolso”. O povo divinopolitano também nunca soube e nem saberá quanto a Prefeitura pagou em publicidades em outdoors, rádios, jornais e TV para divulgar a matéria de Veja. Na ocasião, outdoors foram espalhados em pontos estratégicos da cidade. Os jornais, durante dias, veicularam publicidade de página inteira e as emissoras de rádio e TV veicularam propagandas por mais de uma semana. Certamente os cofres públicos foram lesados acintosamente em vultosa quantia. Mas, isso jamais alguém saberá, pois os gastos não aparecem em nenhuma prestação de contas da Prefeitura publicadas no Portal do Cidadão. O Ministério Público fez que não era com ele e a Câmara, como sempre, se fingiu de morta. 

 

—————

Voltar