20/09/2013 21:42

Minas Gerais fica na última colocação entre os Estados na criação de novas vagas no mercado de Trabalho

Governo tucano arrasa o Estado e Minas fica no negativo na criação de novos empregos em agosto
 

A exemplo do que aconteceu em Divinópolis, a administração tucana do governador Antônio Anastasia está levando Minas Gerais para o buraco. Conforme mostraram os números divulgados nesta sexta-feira pelo Ministério do Trabalho, através do Caged - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Estado ficou em 27º lugar, ou seja, a última colocação, na criação de novas vagas no mercado de trabalho em agosto.

O nível de emprego no Estado de Minas Gerais registrou uma queda de 1.714 empregos celetistas, equivalentes a uma redução de 0,04% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Tal resultado decorreu, preponderantemente, do decréscimo ocorrido no setor agropecuário (-13.742 postos, devido, principalmente, às atividades ligadas ao cultivo de café, que reduziram 11.816 postos), cujos saldos superaram o desempenho positivo dos Serviços (+6.165 postos), do Comércio (+3.997 postos) e da Indústria de Transformação (+1.791 postos).

Veja a classificação dos estados brasileiros na abertura de novas vagas, conforme divulgado pelo Ministério do Trabalho

BRASIL -  127.648 novas vagas, 0,32%

ESTADOS

1º - São Paulo - 39.564, 0,31%
2º - Paraná - 12.259, 0,46%
3º - Rio de Janeiro - 10.104, 0,27%
4º - Santa Catarina - 8.668, 0,44%
5º - Pernambuco - 7.387, 0,57%
6º - Rio Grande do Sul - 6.963, 0,26%
7º - Ceará 47.065 - 6.781, 0,59%
8º - Paraíba - 4.902, 1,31%
9º - Bahia - 3.955, 0,22%
10º - Maranhão - 3.535, 0,78%
11º - Espírito Santo - 3.236, 0,42%
12º - Rio Grande do Norte - 3.219, 0,77%
13º - Mato Grosso - 2.904, 0,46%
14º - Mato Grosso do Sul - 2.694, 0,53%
15º - Goiás - 2.675, 0,22%
16º - Amazonas - 2.099, 0,46%
17º - Pará - 2.012, 0,27%
18º - Sergipe - 1.236, 0,43%
19º - Alagoas - 1.127, 0,35%
20º - Piauí – 992, 0,36%
21º - Distrito Federal – 953, 0,12%
22º - Tocantins – 723, 0,45%
23º - Rondônia – 717, 0,28%
24º - Amapá – 367, 0,48%
25º - Roraima – 337, 0,73%
26º - Acre, -47,  -0,06%
27º - Minas Gerais,  -1.714, -0,04

—————

Voltar